Unidade:
Matrícula:
Senha:
Esqueceu sua Senha?          
ARTIGOS
 

03/02/2011

Memória - Unidade CENTRO

“Só não esquece a cabeça porque está grudada no pescoço”.Você costuma ouvir esse tipo de comentário?"

Bem, isso nem sempre pode significar que você está com problemas graves de memória. Você sofre de um mal comum na sociedade: o esquecimento. Diariamente maridos esquecem os aniversários das esposas, as mães esquecem de pagar a escola do filho e algum motorista deixa o farol do carro ligado no estacionamento.

Mas por que isso acontece? O esquecimento é só um lapso de memória, uma falha causada pela desatenção pessoal. E isso só ocorre porque às vezes não damos atenção aos pequenos detalhes da rotina ou da matéria que estamos estudando.

Tudo isso, é claro, depende do bom funcionamento da memória e esses fatores estão ligados a outros detalhes, simples ou complexos.

Capacidades

Há quem diga que a memória é como um músculo, que cresce sempre que exercitado. Realmente, os especialistas confirmam que a memória funciona cada vez melhor se for treinada. Mas a capacidade de armazenar informações está ligada principalmente a dois fatores: 
1) Capacidade física do cérebro de absorver e reter informações. 
2) Capacidade de organizar informações complexas durante o processo de aprendizagem e isso está diretamente ligado à inteligência.

Sono

Um detalhe importante é que a memória está próxima dos processos biológicos do organismo, ela é seletiva e esse seu caráter mantém um processo interativo com determinadas fases do sono. Durante o sono profundo adquirimos a memória de longo prazo, que é armazenada em uma parte do cérebro conhecida como córtex e tem capacidade ilimitada. Já no hipocampo armazenamos a memória de curto prazo, aquela informação corriqueira (como um número qualquer de telefone ou os algarismos de uma equação feita de cabeça) que guardamos só durante o período necessário e depois descartamos. É por isso que a memória tem de ser modificada a cada instante, para que não sejam armazenadas informações desnecessárias.

Organização

A boa memória depende do nível de inteligência geral, da habilidade verbal e do interesse no que está aprendendo. Portanto, se você não gosta de matemática e não se esforça para aprender, dificilmente os conceitos da matéria ficarão armazenados na sua memória. Além disso, para quem está em maratona pré-vestibular, é preciso encarar a memória como um “grande arquivo”, constituída por pura organização pessoal. Então, para que você consiga armazenar a avalanche de informações diárias que recebe é necessário organizar-se, anotar as idéias, utilizar alguns mecanismos e revisar constantemente a matéria. Veja abaixo algumas dicas para exercitar sua memória e como evitar que ela se torne falha e preguiçosa.

Xadrez 
É um ótimo exercício para a memória, pois exige bastante dela. Já reparou que um bom jogador de xadrez nunca esquece suas jogadas?

Atenção 
A memória para determinado fato está relacionada à importância que lhe atribuímos e isso pode ser chamado de atenção. A atenção aos detalhes facilita a memorização e é um fator fundamental para aquisição de novas informações.

Alimentação 
Algumas vitaminas são essenciais para o bom funcionamento da memória como a tiamina, o ácido fólico e a vitamina B12, que podem ser encontradas em pães, cereais, legumes e frutas. A água também é indispensável, pois a desidratação pode levar à confusão e outros problemas de pensamento.

Sono 
Uma boa noite de sono ajuda a armazenar o que foi aprendido no dia, na memória de longo prazo.

Links mentais 
Fazer links mentais relacionando idéias ou conceitos em fatos inusitados pode ajudar a memorizá-los com mais facilidade. Nossa mente memoriza melhor o que é diferente, curioso.

Desintoxicação 
Procurar um tratamento ortobiomolecular para uma desintoxicação do organismo pode ajudar, além de fornecer uma reeducação alimentar. Isso porque a boa memória está relacionada também ao bom funcionamento do metabolismo ou a problemas bioquímicos (excesso de chumbo ou mercúrio no organismo, por exemplo).

Análise individual 
Relacionar assuntos novos com o que já aprendeu e analisar o que está sendo estudado e chegar a conclusões sozinho ajuda a memorizar o conceito.

Revisão 
Revisar uma matéria aumenta exponencialmente a chance de se lembrar dela posteriormente. E mais, relendo um conteúdo há também a repetição do estímulo nervoso de arquivamento da informação e, com isso, a memorização é mais certa.

Mecanismos 
Certos mecanismos, como os Mnemônicos, ajudam a desenvolver a memória por meio de princípios artificiais de organização, como as rimas para o ensino de crianças: “um - dois, feijão com arroz...”. As palavras-chave também são mecanismos mnemônicos que auxiliam na memorização de conceitos. Outro mecanismo é o sistema visual-simbólico, um modo de memorização através da associação de idéias ou palavras com objetos. Por meio da comparação sucessiva relacionam-se duas idéias, lembramos de uma e conseqüentemente da outra.

Interesse 
Quanto maior o interesse, mais facilmente se aprende e se arquiva o conhecimento na memória.

Escrita 
Escrever é uma forma de ampliar seu banco de dados e exercitar a memória.

Estilos de aprendizagem 
Há diferentes estilos de aprendizagem e cada um tira proveito de seu sentido mais aguçado para ajudar na memorização. Exemplo: 
1) Quem consegue reter mais informações por meio da Visão: É ideal ler bastante ou estudar através de ilustrações ou esquemas visuais. 
2) Por meio da Audição: Estar atento às explicações do professor, conversar com os amigos sobre a matéria, tentar ler em voz alta e escutar a própria voz, evitar ruídos que atrapalhem a sua concentração. 
3) Sinestésico, por meio de Movimentos: Não estudar em uma mesma posição durante muito tempo e fazer gestos que representem o que foi estudado.

Evite

Tensão 
É impossível memorizar algo se estiver tenso. Para relaxar prenda a respiração e vá soltando devagar.

Má alimentação e Privação de sono 
Afetam a capacidade de concentração e a memória de longo prazo.

Remédios milagrosos 
Não há medicamentos ou produtos químicos com atividade comprovada para aumentar os coeficientes da memória, o melhor remédio ainda é o treino.

Remédios prejudiciais 
Alguns medicamentos que induzem o sono, analgésicos, calmantes e antidepressivos, atuam no cérebro e interferem no circuito da memória.

Ansiedade 
De forma intensa pode provocar o chamado “branco”, uma alteração temporária da memória. Além disso, angústia e ansiedade prejudicam a memorização, pois podem provocar a perda da capacidade de realizar uma tarefa e prestar atenção em outra, a chamada “atenção dividida” (Ex.: anotar a matéria enquanto memoriza o que o professor diz).

Mau funcionamento do organismo 
A memória não é um fenômeno isolado do organismo, faz parte de todo um sistema, por isso é fácil influenciá-la negativamente, assim como é fácil beneficiá-la. Tudo depende do mau ou do bom funcionamento do organismo.

Sobrecarga 
Organize sua rotina, os lapsos de memória podem estar relacionados à sobrecarga de atividades.

 Lembre-se: Memorizar os conhecimentos é melhor do que decorar.
 
Portal | Home | Blog | Galeria de Fotos | Contato
Todos os Direitos Autorais Reservados à Colégio PREVEST